Câncer de boca: Cuidados básicos podem prevenir o câncer bucal

Pouco se fala sobre o câncer de boca, muitas pessoas não sabem que o autoexame é necessário para combater a doença ainda em fase inicial. Segundo pesquisa divulgada pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca) a doença – cavidade oral – afeta mais os o homens que as mulheres. Os principais fatores de risco causadores desse tipo de câncer são: o fumo, o etilismo e infecções orais pelo HPV (papilomavírus humano) contraído na relação sexual, ingestão de bebidas alcoólicas, entre outros. 

O cirurgião dentista, dr. Rogério Penna, da Clínica Noac Odontologia, acredita que mesmo com as campanhas realizadas pelo Ministério da Saúde, muitas pessoas não se atentam a esse tipo de doença, que quando diagnosticado no início pode ter cura. “Os homens são mais atingidos que as mulheres de acordo com a pesquisa do Inca realizada em 2013. Segundo a pesquisa 11,54% são homens e 3,92% mulheres, isso se dá devido ao consumo de álcool e cigarro em maior escala por homens. A doença pode atingir varias partes do rosto incluindo olhos, bochechas, orelhas e principalmente regiões internas da boca. O caso pode ser revertido com a retirada das áreas comprometidas e o implante de prótese e tecidos”, explica.

Na pesquisa o Inca revela que o número de casos novos para cada tipo de câncer foram calculados com base nas taxas de mortalidade dos estados e capitais brasileiras. Sistema de Informação Sobre Mortalidade (SIM). As taxas de incidência foram obtidas nas 23 cidades onde existem Registros de Câncer de Base Populacional (RCBP).  A Organização Mundial da Saúde (OMS) fez uma projeção de 27 milhões de novos casos de câncer para o ano de 2030 em todo o mundo, e 17 milhões de mortes pela doença. Os países em desenvolvimento serão os mais afetados, entre eles o Brasil.

Muitas pessoas não fazem acompanhamento odontológico, deixam para procurar um especialista quando sentem algum tipo de incomodo. “É preciso fazer acompanhamentos com um especialista de confiança. Os protetores labiais usados cotidianamente, o controle do tabagismo e das bebidas alcoólicas podem diminuir os riscos de câncer bucal”, disse Dr. Rogério. 

Como identificar o problema?

A melhor forma de se evitar uma doença bucal é o acompanhamento especializado, a prática de hábitos saudáveis, aliada do autoexame da boca (o que pode ser feito diante de um espelho). 

Durante o autoexame, deve-se procurar por sinais como: feridas que não desaparecem, nódulos ou caroços, dor persistente na boca, manchas brancas, vermelhas ou roxas no interior da boca, dificuldade para mastigar, engolir ou mexer a língua, inchaço ou dor no maxilar, dor constante na orelha, sangramento na boca e rouquidão. Ao menor sinal de alteração na mucosa bucal, deve se procurar orientação médica ou odontológica.

“O paciente não consegue descobrir a existência do problema que por muitas vezes age silenciosamente, quando isso acontece o câncer já está em estado avançado dificultando o tratamento. É curável desde que seja detectado precocemente”, alerta o cirurgião.

 

Fonte: Diário da Manhã/Oncoguia